Belo Horizonte, a jovem metrópole precursora do planejamento urbano brasileiro surpreende a todos com sua harmônica junção entre cidade jardim e centro urbano de vanguarda. Fundada em 1897, Belo Horizonte foi a primeira cidade moderna planejada com o objetivo de se tornar uma das maiores capitais brasileiras do século XX. Nos quatro anos que levou para desenhar a nova capital, a equipe liderada pelo Engº Aarão Reis sempre manteve entre suas principais características de projeto – então inspirado em cidades como Paris e Washington – a definição de três áreas distintas: central, suburbana e rural – marcada por uma transição clara e permeada com muito verde e espaços públicos. Atualmente, apesar de ter suplantado em mais de 20 vezes seu horizonte populacional de projeto, o legado desta convivência entre o “verde” e o “urbano” é parte da rotina de seus habitantes e encanta visitantes que cada vez mais elegem a cidade como base para realização de negócios e passeios a lazer.

Neste sentido a capital mineira vem se destacando como referência em Turismo de Negócios e Eventos, e a redescoberta desta vocação possibilita seu desenvolvimento cada vez mais dinâmico, devido à sua capacidade de geração de emprego e renda. Dentre os fatores que compõem o diferencial competitivo de Belo Horizonte estão sua área de influência de cerca de 5 milhões de habitantes, inovação e qualidade na prestação de serviços, sua vasta gama de atrações culturais, históricas, de lazer e entretenimento aliados à posição geográfica privilegiada no mapa brasileiro (a cidade está a 434 km do Rio de Janeiro, 586 km de São Paulo e a 716 km da capital, Brasília).

Acostumada com sua posição de destaque no cenário nacional no que se refere ao seu patrimônio histórico, arquitetura, artesanato, música, dança, artes plásticas, e gastronomia, a vida cultural de Belo Horizonte é uma atração à parte. Com aproximadamente 18,6 mil bares e restaurantes, a hospitalidade do belo-horizontino e sua tradicional gastronomia mineira ficam logo ali na esquina. Literalmente… Para as compras, as atenções se voltam para o Mercado Central e suas quase 400 lojas, para a região da Savassi e para os polos de moda do Barro Preto, Prado e Lourdes.

Além da proximidade de Belo Horizonte com cidades históricas e patrimônios da humanidade – passeios quase obrigatórios para quem visita Minas Gerais – a jornada cultural não pode deixar de incluir uma passada pelo Inhotim, complexo artístico e paisagístico que abriga uma das maiores coleções de arte contemporânea do Brasil, considerado ainda o maior museu a céu aberto da América Latina.

Em tempos de economia criativa Belo Horizonte têm se superado também no desenvolvimento de novos negócios. Áreas como tecnologia de informação, comunicação e startups, biotecnologia, saúde e excelência médica, cervejas artesanais, design e moda passaram a ter a cidade como referência – sendo que inúmeras empresas nascidas na região já trouxeram fama nacional e internacional para suas marcas e criadores.

Seja qual for o motivo de sua visita, venha viver o agito de nossa história e leve na mala a saudade de um Belíssimo Horizonte.