MINICURSOS

Os minicursos só estarão disponíveis para os participantes inscritos no COBRAMSEG/SBMR/GEOJOEVM/SFGE 2016.

Os minicursos serão realizados na Escola de Engenharia da UFMG (Av. Antônio Carlos, 6627). O acesso ao Campus da Pampulha da UFMG pode ser feito a partir do Centro de Belo Horizonte de táxi ou utilizando as seguintes linhas de ônibus:

  • 9502 (Sentido UFMG) ou 5102 (Sentido UFMG), essas linhas tem paradas em frente à Escola de Engenharia da UFMG
  • Utilizando o Sistema MOVE (Linha 51): descer na Estação UFMG e seguir a pé até a Escola de Engenharia (+/- 800 m)

Horário dos minicursos: 08:30 às 18:00, com pequenas variações em cada curso.

O material dos minicursos será digital e tentaremos enviá-lo com antecedência aos participantes.

Para os Minicursos MC-02, MC-03 e MC-04 os participantes deverão trazer seus próprios notebooks e extensões. Enviaremos em breve instruções sobre as eventuais licenças temporárias dos softwares a serem utilizados nesses minicursos.

.

MINICURSO 1: Liquefaction Analysis of Tailings Facilities

PROGRAMA:

  • Introduction and overview of evaluating liquefaction in tailings dams
  • Site investigation for liquefaction evaluation
  • Seismic hazard analysis and geotechnical earthquake engineering
  • Liquefaction concepts
  • Liquefaction analysis of slopes and embankments
  • Examples of liquefaction analysis for embankments and tailings dams

PROFESSORES:

Prof. Scott M. Olson

Dr. Olson is an associate professor of Civil & Environmental Engineering at the University of Illinois, where he has been on the faculty since 2004. Prior to joining the faculty at Illinois, Scott worked for seven years as a project engineer for URS Corporation and Woodward-Clyde Consultants. Dr. Olson has researched the triggering and consequences of liquefaction, and geotechnical e earthquake engineering in general, for nearly 20 years, and has been involved in dozens of research and consulting projects involving geotechnical earthquake engineering including seismic hazard assessment; ground motion evaluation; site response; liquefaction analysis; static, seismic, and post-liquefaction stability; and ground modification analyses and design. Prof. Olson’s research involves liquefaction engineering; laboratory (element and centrifuge) testing of sands, tailings, and transitional soils; site response analysis; paleoliquefaction; in situ testing; geohazard analysis; and soil-foundation-structure interaction for jointless bridges. To support this research, he has received nearly $3million in grants from the National Science Foundation, U.S. Geological Survey, Illinois Center for Transportation, U.S. Agency for In ternational Development (USAID), and Nuclear Regulatory Commission.

IDIOMA:

Inglês (haverá tradução simultânea)

INVESTIMENTO:

  • Estudante Membro ABMS/ABGE/ISSMGE/ISMR: R$ 250.00
  • Estudante: R$ 300,00
  • Profissional Membro ABMS/ABGE/ISSMGE/ISMR: R$ 350,00
  • Profissional: R$ 400,00

NÚMERO DE VAGAS:

100

LOCAL:

Escola de Engenharia da UFMG – Av. Presid. Antônio Carlos, 6627

HORÁRIO:

9:00 às 13:00h e 14:00 às 18:00h

MINICURSO 2: Rocscience Tools for Surface & Underground Mining Applications

PROGRAMA:

  • Module I
    • Overview of limit-equilibrium methods for slope stability analysis
    • Failure modes of soil and rock slopes
    • Limit-equilibrium methods
  • Module II
    • Slope stability analysis for 2D and 3D open pit problems
    • Model building (Tips and Pitfalls)
    • Material behavior models (anisotropic vs. isotropic material models)
    • Interpretation of results
  • Module III
    • Selection of analysis methods
    • Selection of method for locating minimum factor of safety
    • Failure Surface optimization techniques
  • Module IV
    • Case study (2D and 3D slope stability problems)
    • Comparing 2D and 3D slope stability problem
    • Using kinematic and limit equilibrium analysis for Slope failure analysis
  • Module V
    • Introduction to the Finite Element Method for surface and underground geotechnical problems
    • Model development (construction of geometry, meshing, loads and boundary conditions, analysis options)
    • Material models and constitutive relations using RocData
    • Interpretation of results
  • Module VI
    • 2D and 3D Slope stability analysis using the shear strength reduction method
    • Application of FEM to slope stability analysis
    • Shear Strength Reduction approach
    • Deep seated slope failure
  • Module VII
    • Continuum numerical modeling for jointed rock mass problems
    • Application of FEM to jointed rockmass problems
    • Implicit vs explicit joint modeling
    • Modeling of Discrete Fracture Networks (DFN)

PROFESSORES:

Dr. Thamer Yacoub, P.Eng.

is the President of Rocscience. He has more than 25 years of experience in geomechanics numerical modeling. Thamer has a wide range of experience in several numerical modeling applications, covering topics including slope stability analysis, settlement and foundation analysis, surface and underground stress analysis. He also has extensive experience in probabilistic analysis of slopes. Thamer received his Bachelors and Masters degrees in Civil Engineering in 1986 and 1990 from the University of Baghdad in Iraq. He then obtained his Ph.D. degree in numerical geomechanics from the University of Toronto, Canada in 1999. Thereafter, Thamer joined Rocscience Inc. as a geomechanics specialist in 1999. Thamer was involved in developing the boundary element engine for Examine3D, and the finite element engine for Phase2. He was also the lead developer for the stress analysis in Settle3D. Thamer has extensive experience in fluid flow analysis and developed the groundwater engine for Slide and Phase2 (now known as RS2). More recently, Thamer managed projects related to liquefaction in Settle3D and the implementation of the rigid impact mechanics engine in RocFall. Ongoing areas of interest include material model development, soil-structure interaction, liquefaction analysis in Settle3D, and three-dimensional finite element modeling in RS3. Thamer has developed and taught several Rocscience workshops and seminars. He is the primary course instructor for both the Rocscience standard short courses as well as the customized course packages. He has presented courses in North and South America, the Middle East, Asia, New Zealand and Australia. Thamer has also taught several numerical modeling courses for graduate level students around the world.

IDIOMA:

Inglês

INVESTIMENTO:

  • Estudante Membro ABMS/ABGE/ISSMGE/ISMR: R$ 150.00
  • Estudante: R$ 200,00
  • Profissional Membro ABMS/ABGE/ISSMGE/ISMR: R$ 250,00
  • Profissional: R$ 300,00

NÚMERO DE VAGAS:

50

LOCAL:

Escola de Engenharia da UFMG – Av. Presid. Antônio Carlos, 6627

HORÁRIO:

9:00 às 13:00h e 14:00 às 18:00h

OBSERVAÇÕES:

Os participantes deverão trazer seu próprio notebook/laptop.

MINICURSO 3: Técnicas e Artifícios de Modelagem Numérica – Sistema GeoStudio 2012

DESCRIÇÃO:

O curso tem como objetivo apresentar os principais conceitos, técnicas e artifícios para elaboração de modelos numéricos de obras geotécnicas. Apresentar os problemas mais comuns observados na montagem de modelos por equilíbrio limite e elementos finitos. Discutir, avaliar e interpretar os resultados dos estudos.

PROGRAMA:

  • Programa Slope:

Métodos de Estabilidade. Poropressão Estática. Parâmetros de Poropressão. Técnicas de Busca da Superfície Potencial de Ruptura. Técnica de Otimização. Trinca de Tração. Estudos Probabilísticos e Sensibilidade. Critérios de Resistência. Sucção. Cargas Induzidas. Sismo – Pseudoestático. Obras de Reforço: Cortina Atirantada; Solo Grampeado; Geossintético. Interpretação dos Resultados: FS; Superfície Potencial de Ruptura; Zona Potencial de Ruptura; Probabilidade; Estabilidade Global, Local e Interna.

  • Programa Seep:

Fluxo Permanente e Transiente. Função Teor de Umidade Volumétrico. Função Condutividade. Anisotropia. Condições de Contorno. Refinamento Otimizado da Malha de Elementos Finitos. Discretização Temporal. Simulação de Barragem de Terra em Operação, Enchimento e Rebaixamento Rápido. Simulação de Infiltração em Encostas Naturais Devido a Chuvas. Estudos Acoplados Slope-Seep. Interpretação dos Resultados: cargas totais; poropressões; gradientes hidráulicos; vazões.

  • Programa Sigma:

Condições Iniciais. Tensão Deformação. Modelos Constitutivos. Condições de Contorno. Obras de Contenções: Cortina Atirantada, Solo Grampeado, Estacas Prancha. Obras Reforçadas com Geossintético: Muros e Aterros Sobre Solo Mole. Elementos de Interface. Drenagem Radial. Refinamento da Malha. Discretização Temporal. Interpretação dos Resultados: Tensões; Zonas de Plastificação; Deslocamentos; Cargas nos Reforços; Efeitos do Tempo. Estudos Acoplados Slope-Seep e Sigma. Método Sigma-Stress, Fator de Segurança Local, Ruptura Progressiva.

PROFESSORES:

Saulo Gutemberg Silva Ribeiro

Doutor em Geotecnia – COPPE/UFRJ (1996); Mestre em Geotecnia – PUC/RJ (1991); Engenheiro Geotécnico – ABMS; Professor Efetivo UFOP – 1989 a 2012; Professor do NUGEO/UFOP e do IEC PUC-Minas; Representante Técnico Oficial da GeoSlope International Ltd. no Brasil; Diretor e Consultor da GeoFast Treinamento e Consultoria Empresarial. Ltda.

IDIOMA:

Português

INVESTIMENTO:

  • Estudante Membro ABMS/ABGE/ISSMGE/ISMR: R$ 150.00
  • Estudante: R$ 200,00
  • Profissional Membro ABMS/ABGE/ISSMGE/ISMR: R$ 250,00
  • Profissional: R$ 300,00

NÚMERO DE VAGAS:

50

LOCAL:

Escola de Engenharia da UFMG – Av. Presid. Antônio Carlos, 6627

HORÁRIO:

9:00 às 13:00h e 14:00 às 18:00h

OBSERVAÇÕES:

Os participantes deverão trazer seu próprio notebook/laptop.

Os participantes receberão no dia do curso os arquivos do sistema computacional associados ao curso e 30 dias de licença plena Standard (Slope, Seep e Sigma) do programa GeoStudio 2012. Em função do escopo do curso e número de participantes, o curso é expositivo. No entanto, os participantes receberão as notas de aula do curso alguns tutoriais em pdf para treinamento pós-curso que poderá ser feito individualmente no período de vigência da licença.

MINICURSO 4: Two and Three Dimensional Slope Stability Analysis of Tailings Dams

DESCRIÇÃO:

Course Description

Modern mining operations manage many structures specifically designed for storing materials with high engineering and environmental standards. These materials are removed, produced or used by the mining operation itself; some examples of these materials are: tailings, ore, mine waste or low grade ore, water, topsoil, etc. Mine waste is removed from the open pit or underground mining operations in order to expose and mine higher grade materials or ore. Mine tailings is produced and disposed in higher quantities because of increasing mineral demand and the diminishing high grade ore reserves. The physical stability of earth dams used to create a storage facility is important because of the economic and environmental threats related to its operation and closure.

In most of South America among the Andes regions, mining operations operate at altitudes higher than 2 500 meter above sea level and deal with a rugged, mountainous and many time aggressive terrain. For this reason, when designing tailings management facilities (TMF), problems such as slope stability and locating a suitable site for disposing the mine tailings are encountered.

Current state of practice of slope stability analysis involves the use of the limit equilibrium (LE) method in two-dimensional (2D) sections selected to represent the most critical conditions. Rotational failures are often used for TMF. However, the selection of both representative and critical sections is commonly difficult due to the aggressive terrain and complicated layouts, so the tendency is to be conservative.

As 2D LE analysis are based on plain strain conditions, assuming a non-variable cross-section in the direction perpendicular to the direction of sliding. 2D analyses are conservative because the resistance along the out-of-plane faces of the slide mass is neglected. Neglecting the end effects can severely affect the factor of safety (FS), particularly in narrow slopes with slope angle higher than 20 degrees (Lefebvre and Duncan, 1973). Stark and Eid (1998) and Arellano and Stark (2000) showed that translational slides, which are the most critical in HLP, exhibit a significant difference up to 40% between 2D and 3D FS. Differences are less pronounced but still important in slopes that fail in rotational failure mode (Akhtar, 2011). Reyes and Parra (2014) and Reyes et al. (2014) presented real-world 3D analyses of mining structures in the Peruvian region reporting differences between 2D and 3D FS up to 18% and 50% for each case, which showcase an important opportunity to improve and optimize the geotechnical design of these facilities.

This one-day short course will present and discuss advanced topics related to 3D slope stability analysis areas. The primary focus will be on the conceptual design of 3D numerical models and the subsequent solution / analysis. Several applications of 3D analysis for real-world problems will be presented, focusing on advanced considerations for the modeling of earth dams used for TMFs.

The course is designed for technical participants who would like to gain a general and advanced understanding of the current state of the start of 3D slope stability analysis of TMF earth dams. The ability of taking advantage of the new SVDESIGNER 3D geotechnical design module for the building of complex 3D site geometries will be examined.

PROGRAMA:

  • Conceptual Model Design
    • SVOffice 5 – What’s changed?
    • Conceptual model design using SVDESIGNER
    • Managing complex 3D geometry
    • Example 3-D conceptual model of tailings dam and facility
    • Trends in theory & development of 2-D/3-D slope stability analysis
    • Brief theoretical overview of 2-D slope stability analysis
  • Slope Stability Analysis
    • Unsaturated slope stability analysis
    • Overview of 3-D slope stability analysis – why do it?
    • Basic theoretical overview of 3D slope stability analysis
    • Analysis of 2D/3D slopes using the Shear Strength Reduction (SSR) method
    • What are typical variations between a 2-D and a 3-D analysis?
    • Earth slope 3-D slope stability analysis
    • Open pit: 3-D slope stability analysis

PROFESSORES:

Murray Fredlund – PH.D., P.ENG., President/CEO, SoilVision Systems Ltd.

Murray Fredlund is the founder of SoilVision Systems Ltd. and has spent much of his time over the past 19 years guiding the development of geotechnical software development at SoilVision Systems Ltd. Recent software projects supervised include the release of SVOFFICE V5 and the new SVSlope® 2D / 3D limit equilibrium slope stability software package. Murray has been involved in a number of numerical modeling projects involving heap leach flow, heap leach stability, waste rock water balance and stability, tailings water balance, and tailings consolidation. More recently, Murray was involved in the estimation of consolidation behavior of the oil-sand tailings in Alberta, Canada as well as open-pit slope stability projects around the world. The software products of SoilVision Systems Ltd. are used in over 55 countries by consultants, universities, government agencies and multinational corporations.

Gilson Gitirana – Ph.D. , Professor, UFG Universidade Federal de Goiás

Gilson Gitirana Jr. is currently Associate Professor at the School of Civil and Environmental Engineering of the Federal University of Goias, where he teaches and develops research in the area of Geotechnical Engineering, with emphasis on Computational Geomechanics, Risk management, and Unsaturated Soil behavior. He leads an active research group, with the participation of graduate, master’s and doctorate students and with significant participation of SoilVision. The results of collaborative research on the theoretical foundations of computer solutions for geotechnical engineering is present in a number of modules of the SVOffice package.

IDIOMA:

Português/Inglês

INVESTIMENTO:

  • Estudante Membro ABMS/ABGE/ISSMGE/ISMR: R$ 150,00
  • Estudante: R$ 200,00
  • Profissional Membro ABMS/ABGE/ISSMGE/ISMR: R$ 250,00
  • Profissional: R$ 300,00

NÚMERO DE VAGAS:

50

LOCAL:

Escola de Engenharia da UFMG – Av. Presid. Antônio Carlos, 6627

HORÁRIO:

9:00 às 12:00h e 14:00 às 18:00h

OBSERVAÇÕES:

Os participantes deverão trazer seu próprio notebook/laptop.

MINICURSO 5: Estacas Metálicas: Aspectos de Projeto e Execução

PROGRAMA:

  • Características das estacas
  • Perfil tipo trilho
  • Perfil soldado
  • Perfil laminado
  • Carregamento axial das estacas
  • Carregamento transversal das estacas
  • Indicadores de projeto
  • Equipamentos para execução
  • Casos de obras

PROFESSORES:

Alexandre Gusmão

Engenheiro Civil – UFPE. Mestre em Engenharia Civil – COPPE/UFRJ. Doutor em Engenharia Civil – PUC Rio. Professor Associado e Livre Docente – Universidade de Pernambuco e IFPE. Secretário executivo da ABMS. Autor de 05 livros e mais de 150 artigos completos em periódicos e anais de eventos nacionais e internacionais. Sócio da Gusmão Engenheiros Associados Ltda, Recife, sendo responsável técnico por mais de 2.000 obras geotécnicas.

IDIOMA:

Português

INVESTIMENTO:

  • Estudante Membro ABMS/ABGE/ISSMGE/ISMR: R$ 150.00
  • Estudante: R$ 200,00
  • Profissional Membro ABMS/ABGE/ISSMGE/ISMR: R$ 250,00
  • Profissional: R$ 300,00

NÚMERO DE VAGAS:

50

LOCAL:

Escola de Engenharia da UFMG – Av. Presid. Antônio Carlos, 6627

HORÁRIO:

9:00 às 13:00h e 14:00 às 18:00h

MINICURSO 6: Ensaios de Cone (CPT), Piezocone (CPTu), Flat Dilatometer (DMT) and Seismic Dilatometer (SDMT)

PROGRAMA:

    • Introdução e princípios da Investigação do subsolo
    • Tipos de ensaios de campo (Perfilagem – SPT, CPT, DMT e Específicos – VANE, PMT)
    • Os ensaios CPT mecânico, elétrico e de piezocone: Breve histórico
    • Procedimentos de ensaio e equipamentos. Calibração e saturação de piezocones. Obtenção e tratamento de dados. Identificação do perfil do subsolo
    • Princípios da interpretação dos ensaios de piezocone. Parâmetros geotécnicos pelos métodos indiretos. A interpretação de ensaios de piezocone pela Abordagem Unificada
    • Ensaio de dissipação de excesso de poro-pressão
    • Os métodos diretos para projeto de fundações (Aoki & Veloso)
    • Ensaios de piezocone em solos não convencionais – Barragens de rejeito
    • Acessórios do piezocone (amostragem de solo, sísmica, resistividade)
    • Exemplos de aplicação e casos de obra
    • DMT& SDMT: equipment, test procedure and interpretation of the results
    • DMT & SDMT: Main Applications: Settlements prediction, Liquefaction, Compaction control, Slip surface in OC clay slopes, In-Situ horizontal stress, P-y curves for piles, Input parameter in FEM Program, Seismic design and G-gamma decay curves
    • Exemplos de aplicação e casos de obra.

PROFESSORES:

Edgar Odebrecht

Graduado em Engenharia Civil pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1985), Mestre em Engenharia Civil pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e Doutor em Geotecnia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2003). Atualmente é professor titular da Universidade do Estado de Santa Catarina e sócio gerente da Geofroma Engenharia Ltda. Tem experiência na área de Engenharia Civil com ênfase na área de Geotecnia e Fundações, atuando principalmente nos seguintes temas: Geotecnia, investigação geotécnica, SPT, CPT-U e mecânica dos solos. É coautor do livro “Ensaios de Campo e sua Aplicação à Engenharia de Fundações”.

Fernando Damasco Penna

Graduado em Engenharia Civil pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (2006), é sócio da Damasco Penna Engenharia Geotécnica. Possui experiência na área de investigação de campo e sondagens. Atualmente é Secretário da Comissão Técnica de Investigação de Campo (CTIC) da Associação Brasileira de Mecânica dos Solos e Engenharia Geotécnica (ABMS).

Heraldo Luiz Giacheti

Graduado em Engenharia Civil pela Unesp (1982), mestrado (1987) e doutorado (1991) em Geotecnia pela USP de São Carlos. Pós-Doutorado pela UBC, no Canadá (1997-1999), onde também realizou estágio como pesquisador visitante (2006-2007). Professor titular da Unesp, onde é coordenador da Pós-Graduação em Engenharia Civil e Ambiental. Professor colaborador da Geotecnia da USP de São Carlos. É um dos representantes do Brasil na TC-102: In-Situ Tests, da ISSMGE. Tem experiência em Engenharia Civil, com ênfase em Geotecnia, atuando principalmente nas áreas de investigação do subsolo, ensaios de campo, piezocone, geotecnia ambiental e fundações.

Diego Marchetti

Engineer Diego Marchetti is partner of Studio Prof. Marchetti, founded in association with Professor Silvano Marchetti, the inventor of the Flat Dilatometer. The company designs, produces and distributes geotechnical equipment. Examples of patented instrumentation are the Seismic Dilatometer and the Medusa DMT. He is responsible of the research and development team of the company, with particular focus on enhancing the existing equipment, developing new equipment with particular focus on offshore site investigations. His research activities is mainly in cooperation with the University of L’Aquila. He is author/co-author of over 30 publications in technical journals and conference proceedings. He has visited over 40 countries worldwide for delivering technical presentations in National and International conferences, Universities and private companies.

Francesca Buselli

On graduating in Civil Engineering at the University of Rome in 2009, she got her Physical Doctorate in Geotechnical Engineering at “Sapienza” University of Rome in 2013. Her scientific activity has been focused on the study of underground excavations and tunneling in urban environment and extra-urban environment. Since April 2013 she works at Prof. Marchetti’s Company as Geotechnical Engineer and has developed experience in soil characterization.

IDIOMA:

Português e Inglês

INVESTIMENTO:

  • Estudante Membro ABMS/ABGE/ISSMGE/ISMR: R$ 150,00
  • Estudante: R$ 200,00
  • Profissional Membro ABMS/ABGE/ISSMGE/ISMR: R$ 250,00
  • Profissional: R$ 300,00

NÚMERO DE VAGAS:

50

LOCAL:

Escola de Engenharia da UFMG – Av. Presidente Antônio Carlos, 6627

HORÁRIO:

9:00 às 13:00h e 14:00 às 18:00h

MINICURSO 8: Patologia, diagnóstico e Projeto – Quedas e Debris Flow

PROGRAMA:

  • Rupturas: Patologias e Diagnostico
  • Solução: MacRo e Solo Grampeado
  • Barreira contra queda de blocos: Dinâmica e Rígida
  • Barreira de proteção Fluxo de detritos

PROFESSORES:

Anna Laura L S Nunes

Graduou-se em Engenharia Civil pela PUC-Rio em 1985. Mestrado em Engenharia Civil pela PUC-Rio em 1989. Obteve seu título de PhD em Engenharia Civil e de Minas pela Universidade de Montreal (École Polytechnique de Montreal) em 1997. Atuou como professora e pesquisadora na PUC-Rio e UFRGS (Porto Alegre). É professora da COPPE – UFRJ desde 2003. Ex-Presidente do Comitê Brasileiro de Mecânica das Rochas (CBMR-ABMS) de 2006 a 2010 e ex-presidente da ABMS-Rio de 2011 a 2014. Tem experiência na área de Engenharia Civil e Minas, com ênfase em Mecânica das Rochas, atuando principalmente em taludes, barragens e escavações a céu aberto e subterrâneas. Suas pesquisas são dirigidas a novas técnicas de ensaios em laboratório e campo com desenvolvimento de equipamentos e métodos, além de mecanismos de instabilização de encostas e estruturas de contenção e convivência. Orientou mais de 50 teses de mestrado e doutorado e possui diversas publicações técnico-científicas nacionais e internacionais.

Andrea Balbuzano Pelizoni

Graduou-se em Engenharia Civil pela Universidade Católica Andrés Bello em 2009. Mestrado em Engenharia Civil pela COPPE/UFRJ em 2014. Atuou como Engenheira de projetos na empresa DYP Engenharia na área ambiental e hidráulica, na Venezuela (2007-2008). Tem experiência na área de Engenharia, com ênfase geotécnica, atuando principalmente em controle e ensaios de campo (2009-2011). Participação no desenvolvimento de trabalhos junto ao CETEM/COPPE (2012-2013). Coordenação de sala técnica e projetos na empresa SEEL-Serviços Especiais de Engenharia. Atualmente como coordenadora de desenvolvimento de mercado do segmento MacRo, na Maccaferri do Brasil.

IDIOMA:

Português

INVESTIMENTO:

  • Estudante Membro ABMS/ABGE/ISSMGE/ISMR: R$ 150.00
  • Estudante: R$ 200,00
  • Profissional Membro ABMS/ABGE/ISSMGE/ISMR: R$ 250,00
  • Profissional: R$ 300,00

NÚMERO DE VAGAS:

50

LOCAL:

Escola de Engenharia da UFMG – Av. Presid. Antônio Carlos, 6627

HORÁRIO:

9:00 às 13:00h e 14:00 às 18:00h

MINICURSO 9: Investigação e Instrumentação Geotécnica em Barragens de Rejeitos

DESCRIÇÂO:

O objetivo do minicurso é apresentar a descrição e avaliação das investigações necessárias para o dimensionamento de estruturas geotécnicas tipo barragens de rejeito, com ênfase nos levantamentos de campo e ensaios de laboratório. Serão abordados em detalhe o monitoramento geotécnico das estruturas e o gerenciamento de dados obtidos nos programas de investigação e instrumentação, para suportar a tomada de decisões.

PROGRAMA:

1) Introdução – barragens de rejeito

2) Levantamento geológico – geotécnico de campo

  • Mapeamento estrutural
    • Geologia regional
    • Mapeamento estrutural de superfície
    • Métodos geofísicos (tipo e utilização)
    • Plano de sondagens mistas (tipo e distribuição)
  • Análises sismológicas

3) Ensaios de laboratório (tipo e aplicabilidade)

  • Caracterização (granulometria completa, limites de consistência, massa especifica dos grãos, etc.)
  • Parâmetros de resistência (ensaios de cisalhamento direto, cisalhamento direto simples, triaxial CIU). Liquefação estática – triaxial CIU para tensões elevadas. Liquefação dinâmica – triaxial cíclico/CSS
  • Determinação do coeficiente de permeabilidade (carga cte. ou variável)
  • Parâmetros de compressibilidade – ensaios de adensamento (oedométrico, tipo CRS e HCT)

4) Monitoramento geotécnico

  • Medidores de nível d’água
  • Piezômetros tipo Casagrande e elétricos (poro-pressões)
  • Sensores de temperatura (concentração de fluxo)
  • Marcos superficiais / pinos (recalques)
  • Inclinômetros (convencionais e/ou “in place”)
  • Célula de tensão total (alteamentos)
  • Sismógrafos (vibrações e sismos)
  • Monitoramento manual e/ou automático via telemetria
  • Identificação de alertas

5) Gerenciamento de dados – sistemas de gerenciamento

PROFESSORES:

Jeferson Guimaraes

Formado em Geologia pela Universidade Federal do Paraná, possui especialização em Gestão de Projetos pela PUC-PR. Atua com investigação Geotécnica desde 1997, desenvolvendo e aprimorando algumas técnicas operacionais para ensaios especiais. Na Fugro In Situ atua desde 2005, atualmente é Gerente de Investigação Geotécnica.

Monica P. H. Moncada

Gerente de Laboratório da Fugro In Situ e Professor Adjunto da Universidade Federal Fluminense. Formada em Engenharia Civil pela Universidade Nacional de la Patagonia, com mestrado e doutorado em Engenharia Civil, na área de concentração Geotecnia, pela PUC-Rio. Atua há mais de 10 anos como engenheira civil e professora.

IDIOMA:

Português

INVESTIMENTO:

  • Estudante Membro ABMS/ABGE/ISSMGE/ISMR: R$ 150.00
  • Estudante: R$ 200,00
  • Profissional Membro ABMS/ABGE/ISSMGE/ISMR: R$ 250,00
  • Profissional: R$ 300,00

NÚMERO DE VAGAS:

50

LOCAL:

Escola de Engenharia da UFMG – Av. Presid. Antônio Carlos, 6627

HORÁRIO:

10:00 às 13:00h e 14:00 às 17:00h

MINICURSO 10: Bioengenharia de Solos: Estabilização de Taludes/Encostas e Proteção Superficial de Solos

DESCRIÇÃO:

Este curso apresenta as mais modernas técnicas de estabilização e proteção superficial do solo e margens de corpos d’água com Bioengenharia de Solos.O objetivo é apresentar técnicas avançadas, baseadas no uso da vegetação em sinergismo a materiais inertes, para a estabilização de taludes, recuperação de áreas degradadas e operações de drenagem, visando a capacitação de profissionais para a análise de passivos ambientais, planejamento de ações mitigatórias e a especificação técnica de sistemas de Bioengenharia de Solos.

PROGRAMA:

1 – INTRODUÇÃO À BIOENGENHARIA DE SOLOS – HISTÓRICO E CONCEITOS BÁSICOS

1.1 – Importância da vegetação na estabilidade de solos e controle de processos erosivos

  • Retenção e reforço
  • Modificações no regime hídrico
  • Mecanismos de interferência entre a estabilidade do solo e a vegetação
  • Proteção do solo contra os agentes erosivos
  • Microbiologia e bioquímica aplicada à Bioengenharia
  • Recuperação de áreas degradadas e pedogênese

1.2 – Ambivalência dos efeitos da vegetação na intensidade de processos erosivos

  • Erosão superficial
  • Erosão em margens de corpos d’água
  • Erosão costeira
  • Erosão eólica

1.3 – Quantificação dos efeitos da vegetação na estabilidade de taludes e estimativa da perda de solo.

  • RUSLE
  • WEPP

2 – TÉCNICAS DE REVEGETAÇÃO

2.1 – Espécies herbáceas (semeio manual, hidrossemeio, telas e mantas vegetais)

2.2 – Espécies arbustivas e arbóreas (sementes, mudas, estacas)

2.3 – Situações especiais

  • Áreas com ausência de solos (concreto projetado, rocha sã)
  • Áreas com toxidez, pH extremos, alta salinidade, déficit hídrico, etc.
  • Faixa de depleção em corpos d’água.

2.4 – Sistema VETIVER

  • Em proteção de taludes e encostas.
  • Estabilização de dunas.
  • Tratamento de águas servidas e lixiviados (águas cinza e negra).

3 – APLICAÇÕES PRÁTICAS DE BIOENGENHARIA DE SOLOS (BS)

3.1 – Associações entre vegetação e materiais inertes

3.2 – BS para proteção de margens de corpos d’água

3.3 – BS em linhas de dutos

3.4 – BS em drenagens

3.5 – BS em obras de infraestrutura

3.6 – BS em mineração

3.7 – BS em paisagismo

3.8 – BS em estruturas de solo reforçado

  • Solo grampeado verde
  • Rip-rap verde
  • Solo envelopado
  • Grampeamento verde ( “Green Nailing” )
  • Solo Ancorado

4 – CRITÉRIOS PARA PROJETOS

5 – ESTUDOS DE CASO

PROFESSORES:

Luiz Lucena

Eng. Civil, CPESC – Profissional Certificado em Controle de Erosão e Sedimentos (www.cpesc.org), formado em 1982 pela Universidade FUMEC, Diretor para o Brasil da IECA / Ibero America – Associação Internacional de Controle de Erosão e Sedimentos (www.ieca.org), Certificado Internacional em Sistemas Vetiver pela TVNI – The Vetiver Network International (www.vetiver.org), Gerente Técnico e de Negócios Internacionais da Deflor Bioengenharia (www.deflor.com.br), trabalha há quase 20 anos com as técnicas de bioengenharia de solos.

IDIOMA:

Português

INVESTIMENTO:

  • Estudante Membro ABMS/ABGE/ISSMGE/ISMR: R$ 150.00
  • Estudante: R$ 200,00
  • Profissional Membro ABMS/ABGE/ISSMGE/ISMR: R$ 250,00
  • Profissional: R$ 300,00

NÚMERO DE VAGAS:

50

LOCAL:

Escola de Engenharia da UFMG – Av. Presid. Antônio Carlos, 6627

HORÁRIO:

9:00 às 13:00h e 14:00 às 18:00h

.

VISITA TÉCNICAVAGAS ESGOTADAS!

No dia 19 de outubro de 2016 ocorrerá a Visita Técnica à Mina de Águas Claras, localizada a aproximadamente 10km do Minascentro, onde ocorrerá o COBRAMSEG/SBMR 2016. Esta visita está sendo oferecida pela Geobrugg com o apoio do Comitê Brasileiro de Mecânica das Rochas e seguirá a agenda apresentada a seguir.

  • 12:30h – Saída do ônibus da frente do Hotel Ibis Style (ao lado do MinasCentro).
  • 13:00h – Chegada na Mina de Águas Claras e briefing de segurança.
  • 14:00h às 16:00h – Visita de campo e apresentação técnica sobre o projeto Patrimônio.
  • 16:15h – Saída do ônibus em direção ao Hotel Ibis Style.

A visita não terá custos aos congressistas interessados, mas ressaltamos que o número de vagas disponíveis está limitado em 25 pessoas. Os interessados em participar deverão enviar e-mail para cbmr@abms.com.br (Lilia) e informar seu nome completo, número de seu documento de identidade e telefone celular para contato. A participação está sujeita à disponibilidade na ocasião do envio do e-mail, bem como à comprovação de inscrição no COBRAMSEG/SBMR 2016.

É importante ressaltar que todos os participantes da visita deverão usar sapato fechado (tipo botina) e calça comprida. Por questões de segurança, sandálias e shorts não são permitidos.

Informações adicionais ou quaisquer alterações serão disponibilizadas por e-mail aos inscritos até o dia da visita.